15 de jun de 2015

Brasil é o décimo país que mais envia spam no mundo, aponta Kaspersky.

O Brasil é o décimo país que mais enviou spam no mundo no primeiro trimestre de 2015, segundo levantamento da empresa de segurança russa Kaspersky. Ao todo, 2,78% dos envios tiveram destinatários brasileiros. A lista é liderada pelos Estados Unidos, de onde saíram 14,5% deles, seguidos da Rússia, que mantém o segundo lugar com 7,27%, e da Ucrânia, com 5,56%.
Quando considerado os países que mais transmitem anexos maliciosos o Brasil assume a segunda posição, sendo responsável por 7,85% dos envios. A Inglaterra lidera com 7,85%. O terceiro lugar é ocupado pelos Estados Unidos (7,18%), seguido da Alemanha (6,05%), que esteve durante muito tempo entre os três primeiros lugares. Itália, Austrália, Índia, Turquia, França e Rússia completam a lista das maiores fontes de spam do mundo.
Os dados apontam que, no primeiro trimestre de 2015, a quantidade de spam detectada no tráfego de e-mail foi de 59,2%, seis pontos percentuais a menos do que o mesmo período do ano passado. Os e-mails indesejados, de acordo com a Kaspersky, diminuíram de forma gradativa de janeiro (61,68%) até março (56,14%).
A oferta de variados tipos de seguros [de vida, de saúde, de imóveis, carros, animais e funerários], como apontou a Kaspersky, foi o assunto predominante dos spams. Mas a empresa também ressaltou o alerta dos e-mails com ofertas de trabalho, de cursos de educação à distância e anúncios de sites de namoro asiáticos.
Todas as mensagens maliciosas continham anexos com extensões ".doc" ou ".xls" que, quando abertos, executavam um script VBA. O código é baixado e instalado de forma automática no sistema. Além disso, esse software executa programas maliciosos, como trojans (que criam uma porta de entrada para uma possível invasão).
Fonte: Uol