3 de set de 2015

Novos smartphones da Apple devem manter o mesmo preço do iPhone 6

Os novos smartphones da Apple devem custar o mesmo que o iPhone 6. Fontes ligadas à empresa informaram ao site especializado 9TO5Mac que os lançamentos manterão os mesmos níveis de armazenamos –16 GB, 64GB e 128– de seus antecessores e chegarão ao mercado europeu por a partir de 199 euros (cerca de R$ 839) e por até 499 euros (R$ 2.105).
Diante da alta do dólar no Brasil –que gira em torno de R$ 3,75–é difícil prever se o congelamento do preço também se aplicará ao consumidor brasileiro. Atualmente, os iPhones 6 e 6 Plus são vendidos de R$ 3.499 a R$ 4.699.
Os lançamentos dos possíveis iPhone 6s e iPhone 6S Plus estão previstos para 9 de setembro, em São Francisco (EUA). Como de praxe, os eventos da Apple são sempre recheados de muito suspense, mas também de muitos rumores. No convite, além da data e do local, consta a seguinte frase: “Hey Siri, give us a hint'' (“Olá Siri, nos dê uma pista'', em tradução livre).
Rumores sugerem que os novos iPhones ganhariam o primeiro upgrade de megapixels dos aparelhos da Apple desde a versão 4S, em 2011. A capacidade dos sensores das câmeras passariam para 8 MP (frontal) e 12 MP (principal) e contariam com suporte a flash (as duas e não mais só a principal).
Os novos iPhones devem vir ainda com capacidade de gravação de vídeo em 4K –assim como alguns dos smartphones da linha Galaxy da Samsung–, e a tecnologia Force Touch, o sensor de toque possibilita o reconhecimento de diferentes comandos conforme o grau de intensidade da aplicação. Não devem, no entanto, apresentar grandes mudanças no tamanho e no design. O que espera é um reforço com o uso do alumínio da série 7.000, que é 60% mais forte do que as ligas convencionais, além de ser mais leve.
Sensor de incêndio
Uma patente registrada pela Apple na última terça-feira (1º) indica a possibilidade de os próximos produtos da marca virem equipados com um detector de fumaça, segundo o site Apple Insider.


Se o usuário não perceber o início de um possível incêndio, o celular poderia alertá-lo e até chamar o Corpo de Bombeiros.
Fonte: Uol tecnologia