27 de jan de 2016

Apple admite que iPhone custa mais do que consumidor pode pagar.

O CEO da Apple, Tim Cook, admitiu em um evento realizado nesta semana que a estagnação das vendas do iPhone pode ser resultado do alto valor cobrado pelo produto e por seus dispositivos em geral.

Cook atribui o cenário pessmista à desaceleração econômica de mercados emergentes como Brasil, China  e Rússia e também às dificuldades encontradas por Japão, Canadá, Turquia, Austrália e o Sudeste Asiático. O mau desempenho regional acaba atrapalhando as vendas globais e puxando os relatórios para baixo.

"Uma das coisas que fizemos para responder à situação cambial foi aumentar o preço de alguns de nossos produtos em determinados mercados internacionais. Isso teve o efeito de proteger nossas margens. Mas, inevitavelmente, ao longo do tempo, os preços mais elevados afetam a demanda e por isso estamos tendo esses resultados", afirmou.

Apesar de reconhecer que as pessoas não podem pagar tão caro pelos dispositivos, a Apple aumentou o preço médio de seus iPhones - de US$ 687 para US$ 691 - no último ano. Segundo o executivo, a medida tem como objetivo proteger a empresa, mas pode trazer problemas.

Como consequência da elevação dos preços, a Apple tem perdido mercado em todos os mercados - exceto na China - nos últimos meses. De acordo com uma pesquisa realizada pela Kantar Worldpanel, os consumidores estão cada vez menos propensos a comprar um iPhone.

Fonte: Olhar Digital.