12 de set de 2016

Novos fones AirPods dizem muito sobre o futuro da Apple; saiba mais

Apresentados na última semana, acessórios que custam R$1.400 são mais inovadores do que os novos iPhone 7 e Apple Watch 2.

O produto mais inovador lançado pela Apple na última semana não é aquele que as pessoas vão correr para comprar. Claro, o iPhone 7 tem ótimas novas câmeras e o Apple Watch traz várias novidades interessantes, mas o maior gadget novo revelado na última quarta-feira, 07/09, é aquele pequeno o suficiente para sumir no seu bolso.
Apesar do design estranho, os AirPods (R$1.400 no Brasil) são inegavelmente um produto da Apple. Pode parecer que o designer da empresa Jony Ive apenas cordou os fios dos EarPods, mas os novos fones wireless da companhia trazem muitos recursos interessantes. Desde como eles se “pareiam” até a maneira como lidam com as suas faixa, a primeira investida da Apple nos fones wireless é tanto sobre mostrar novas tecnologias quanto sobre substituir um padrão já antigo - no caso, o conector de fone de 3,5mm.
Os novos AirPods não estão aqui simplesmente para preencher um vazio antes ocupado por um par de fones com cabos - já temos vários Beats wireless para isso. Os fones da Apple representam uma plataforma para o futuro que se estende muito além das nossas orelhas.
Par de ases
A Apple disse que seus novos fones wireless vão funcionar com aparelhos de outras marcas, mas não se engane: os AirPods são feitos para produtos da Apple. Como fones Bluetooth, eles são um pouco monótonos. Mas quando você os configura com um aparelho da Apple rodando o sistema mais recente, os AirPods são inteligentes o bastante para se conectarem de forma direta e funcionar em quase qualquer direção.
Isso não é pouco para um aparelho Bluetooth. Qualquer um que já tenha usado fones ou alto-falantes wireless conhece bem os problemas de conexão. Seja para parear com diversos aparelhos ou apenas configurá-lo para ouvir pela primeira vez, o pareamento Bluetooth pode ser tão frustrante quanto um fone com o cabo emaranhado. O novo chip W1, da Apple, tira virtualmente todo o atrito do processo, sem precisar ficar lidando com as configurações Bluetooth ou ficar segurando nenhum botão apertado para conectar com o seu iPhone.
É um sistema que muito provavelmente será levado para outros periféricos da Apple, mas seria especialmente impressionante no Apple Watch. Parear o wearable da empresa com um iPhone não é processo terrível nem nada do tipo, mas ainda não é tão fácil e espontâneo quanto os novos AirPods. Um relógio que reconheça e se conecte automaticamente com o iPhone daria ao Apple Watch 3 um pouco da mágica da Apple que ainda falta nesta área.
Recarga
Toda essa conversa sobre o futuro wireless do iPhone deixa de fora um ponto importante: você ainda precisa conectá-lo ao menos uma vez por dia para recarregar a bateria. A recarga wireless certamente está no topo da lista do próximo iPhone, mas ainda permanece como o último grande obstáculo a ser superado.
Mas existem pistas sobre o plano da Apple. O Apple Watch usa a indução magnética para eliminar todos os problemas com cabos. O Smart Battery Case oferece uma maneira inteligente de monitorar e recarregar o seu iPhone em qualquer lugar, e o Apple Pencil traz uma recarga ultrarrápida que fornece 30 minutos de uso após plugá-lo por apenas 15 segundos. Os AirPods levam isso um pouco adianta, incorporando tanto a portabilidade do case quanto as capacidades de recarga rápida do lápis em um pacote simples e elegante.
Recarga wireless verdadeira - ou seja, ondas de rádio, solares ou cinéticas que permitem uso contínuo - ainda está fora, mas a Apple está claramente avançando para um mecanismo que permita ao iPhone ser recarregado sem precisar inserir o cabo Lightning no celular. E um sistema no estilo dos AirPods que use uma estação portátil de recarga rápida para fornecer energia ao iPhone durante o dia seria a próxima melhor coisa.
Caminho pela frente
Mas apesar de o iPhone e o Apple Watch estarem certamente equilibrados para aproveitar as inovações dos AirPods, o impacto potencial sobre os produtos ainda em desenvolvimento pela Apple é ainda mais intrigante.
Juntamente com música e ligações de voz, os AirPods também colocam a Siri no seu ouvido, deixando a assistente digital ainda mais próxima do usuário. Com Hey Siri, o Apple Watch, a Apple TV e os novos AirPods, a Siri não é mais um recurso do iPhone, mas a parte central de um ecossistema maior. O próximo passo é levá-la para um aparelho residencial sempre ligado como a Amazon fez com a Alexa no Echo.
Mas a cereja do bolo aqui seria o Apple Car. Não apenas existem implicações intrigantes para as habilidades de recarga e conexão, mas os recursos inteligentes dos AirPods baseados em sensores oferecem uma espiada no nível de integração que a Apple pode oferecer. Se você estiver uma música no seu iPhone ou Apple TV, o carro poderia instantaneamente continuar a faixa sem interrupção, ou baixar automaticamente o volume se uma pessoa no banco do passageiro iniciar uma conversa. Ou se você costuma ligar para um amigo/parente no caminho de casa para o trabalho, o veículo pode se oferecer para fazer a ligação quando você chegar ao seu destino. Existem recursos menores aqui, com certeza, mas esses são os tipos de detalhes que diferenciariam um Apple Car dos Teslas e Leafs do mercado.
Algo no ar
A remoção do conector de fone de 3,5mm deu uma razão para a Apple introduzir os AirPods, mas eles não serão um acessório do iPhone por muito tempo. Eles não são exatamente um wearable, mas a base foi definitivamente estabelecida. 
A perspectiva de independência completa dos fones provavelmente ainda está a anos de onde estamos, mas algumas funções fitness do Apple Watch podem chegar aos AirPods nas próximas gerações. Adicione um chip celular ao Watch e de repente o iPhone não é mais a melhor companhia dos fones wireless.
Os AirPods não precisam ser campeões de vendas para causar um grande impacto. Como Jony Ive disse no vídeo de apresentação do produto, “Estamos apenas no começo de um futuro verdadeiramente wireless”, e a primeira iniciativa da Apple é uma tentativa ousada em áudio. Os AirPods certamente vão evoluir nos próximos anos, mas os conceitos gerais de pareamento fácil, integração mais direta e controles inteligentes representam uma nova plataforma para os aparelhos da Apple.
Pela primeira vez, wireless não é tanto sobre a feiura dos cabos. É sobre o que pode ser alcançado quando você elimina as coisas que nos mantém presos.
Fonte: Macworld.