23 de jan de 2015

WhatSim é um chip de celular que só serve para usar o WhatsApp em 150 países.

Para muita gente o WhatsApp, hoje com 700 milhões de usuários no mundo todo, é sinônimo de smartphone. Tem quem compre um smartphone não pelos milhões de apps disponíveis, mas por um – pelo WhatsApp. Uma empresa italiana viu nisso uma oportunidade e lançou o WhatSim, um SIM card que só serve para conversar pelo WhatsApp.
Manuel Zanella Rngineer, fundador e CEO da Zeromobile, empresa por trás do WhatSim, conseguiu um feito impressionante para seu produto: ele funciona em 400 operadoras de 150 países – e sim, o Brasil está no meio. A conexão é automática e permite ao dono do aparelho, depois de espetar o WhatSim, digo, o SIM card do WhatSim no smartphone, conversar por mensagens de texto no serviço ilimitadamente. O compartilhamento de contatos e da localização também é gratuito.
Há suporte a outros tipos de mídia suportados, como mensagens de voz, fotos e vídeos, mas esses custam créditos extras que, a partir de fevereiro, poderão ser comprados pelo site. Mais para frente, disse Rngineer ao NDTV Gadgets, haverá um app de recarga. As vendas do chip também serão expandidas para uma “rede de distribuidores locais em mais de 100 países.” Isso pode dar certo, especialmente pelo preço.
Sabe quanto custa esse SIM card monotarefa? € 10 por ano. Só isso. E tem mais: dependendo do lugar onde você se encontra, o preço do WhatSim cai pela metade – não sabemos se é altruísmo ou jogada de marketing, mas para clientes em países como Afeganistão, Uganda, Bolívia e alguns outros, rola esse desconto. O site promete entregar o produto “onde quer que você esteja.”
Não é a primeira vez que o WhatsApp é oferecido de graça por uma operadora. Aqui no Brasil, por exemplo, a TIM recentemente lançou um plano que dá acesso ilimitado ao app de bate-papo mais popular. Mas, a menos que algum tenha passado pelo nosso radar, o WhatSim é o primeiro SIM card feito exclusivamente para WhatsApp. Tal característica é bem restritiva (nada de conversar pelo telefone, ou usar outros apps pela rede 3G/4G), mas de repente pode ser uma boa para trazer de volta à vida aquele celular velhinho que vive no fundo da gaveta para a sua próxima viagem.
Fonte: Gizmodo Brasil