21 de jul de 2015

Apple vende 47,5 milhões de iPhones em três meses

O iPhone 6 é um sucesso indiscutível, comprovado pelo terceiro trimestre consecutivo. A Apple liberou os números entre abril e junho, com 47,5 milhões de unidades do iPhone vendidas. O crescimento foi de 35% em comparação com o mesmo período do ano passado.
Apesar de estar abaixo do projetado por analistas (a previsão era de 50 milhões de unidades), ainda é um resultado sólido, que contribuiu bastante para receitas na casa de US$ 49,6 bilhões e um lucro de US$ 10,7 bilhões.
O mesmo sucesso não pode ser dito do iPad, que mantém a tendência de queda vista nos últimos trimestres. Neste trimestre, foram vendidas 10,9 milhões de unidades, uma queda de 18% em comparação com o ano anterior, quando foram computadas 12,6 milhões de tablets vendidos (na ocasião, o produto já estava em queda).
A empresa manteve a monotonia do Mac, que trimestre após trimestre se mantém mais ou menos no mesmo patamar. Em um ano, houve um aumento de 9% nas vendas dos computadores da empresa. Foram 4,8 milhões de unidades vendidas.
E o Apple Watch?
O mistério continua. A Apple não diz quantas unidades de seu relógio foram vendidas, embora analistas estimem que os números fiquem próximos às 4 milhões de unidades. O que é possível deduzir, é que ele teve um impacto de aproximadamente US$ 1 bilhão nas receitas da empresa.
Como chegamos a esse número? Antes de tudo, é importante reconhecer que se trata de um chute, um palpite. A empresa jogou as receitas do Apple Watch para o item “Outros” do seu balanço, então comparamos com a média que este item registrou nos trimestre anteriores:
1º TRIMESTRE/2014 => US$ 2,836 bilhões
2º TRIMESTRE/2014 => US$ 1,880 bilhões
3º TRIMESTRE/2014 => US$ 1,767 bilhões
4º TRIMESTRE/2014 => US$ 1,896 bilhões
1º TRIMESTRE/2015 => US$ 2,689 bilhões
2º TRIMESTRE/2015 => US$ 1,689 bilhões
3º TRIMESTRE/2014 => US$ 2,641 bilhões
Repare como tirando pelo primeiro trimestre de cada ano fiscal da Apple tem picos, chegando a quase US$ 3 bilhões. Esse é o período correspondente às festas de fim de ano, quando há um impulso natural em vendas. Fora isso, a média fica entre US$ 1,6 bilhão e US$ 1,8 bilhão.
A exceção, claro, fica para o trimestre que se encerrou ao fim de junho, que chegou aos US$ 2,6 bilhões, enquanto o mesmo período do ano anterior ficou em apenas US$ 1,7 bilhões. É natural estimar que o impacto seja resultado das vendas do Apple Watch.
Fonte: Olhar Digital.