6 de nov de 2015

Vitória da Apple no tribunal pode colocar aparelhos da Samsung em risco

Na infindável batalha judicial entre Apple e Samsung por patentes, a empresa americana conquistou uma pequena vitória contra a rival coreana. A justiça decidiu favoravelmente ao pedido da Apple para que a concorrente deixasse de usar alguns recursos patenteados em seus aparelhos.
A corte determinou que “o direito de impedir competidores de usar suas propriedades é importante”. Mas é interessante que neste caso específico, se tratam de recursos muito pequenos e específicos, que podem causar um estrago bem grande à Samsung.
Neste caso, mais precisamente, a Apple procurou a justiça reclamando de que a rival teria infringido suas propriedades intelectuais sobre os recursos de deslizar para desbloquear o aparelho, a autocorreção de texto e links rápidos.
A corte aceitou a reclamação e o julgamento foi favorável à Apple. Porém, o juiz se recusou a dar à empresa o que ela realmente queria, que era a interrupção das vendas de modelos que violassem estas patentes, que não são poucos. No lugar, foi determinado o pagamento de uma quantia monetária como compensação.
Os representantes da companhia fundada por Steve Jobs não ficaram satisfeitos, no entanto. A empresa optou por continuar com o processo, buscando uma vitória completa sobre a Samsung. O que seria um precedente perigoso, porque significaria que qualquer outra fabricante poderia ter um lançamento adiado ou algum produto retirado do mercado por recursos tão pequenos.
Fonte: Olhar Digital.

Apple patenteia 'modo de pânico' no celular; veja como funciona

A Apple recebeu recentemente uma patente para um método que permite entrar secretamente em um 'modo de pânico', quando o smartphone é desbloqueado com um dedo específico. A tecnologia pode permitir o bloqueio de informações pessoais ou redefinir as configurações do dispositivo.

O documento, enviado em maio aos órgãos responsáveis,inclui diferentes funções para o modo. Basicamente, o texto descreve um sistema que é ativado caso o usuário seja forçado a desbloquear o iPhone com sua impressão digital, usando o TouchID.

Quando o desbloqueio usar o "dedo do pânico", o sistema entende que o usuário está em perigo, limitando o acesso a informações pessoais. Ele poderia ser ativado também para capturar fotos ou vídeos de um ladrão. As imagens seriam enviadas para a conta iCloud do usuário ou à polícia. 
Outras funções potenciais do modo de pânico descritas no pedido são a ativação de um alarme alto que não vai parar até que o usuário confirmar que está seguro e um sinal de socorro enviado para iPhones nas proximidades.

Dedos específicos, apps específicos
O pedido de patente também descreve a utilização de dedos específicos para o desbloqueio para que o iPhone abra diretamente apps específicos. "Dependendo da impressão digital capturada, uma determinada ação poderá ser ativada quando o dispositivo for desbloqueado", descreve o documento.
Fonte: Olhar Digital.