24 de nov de 2015

12 dicas para evitar fraudes na Black Friday

Além de liquidações e oportunidades interessantes de compra, a Black Friday também é notória pela imensa quantidade de fraudes, falsas ofertas, tentativas de roubo de informações de cartão de crédito e golpes digitais.  A perspectiva de adquirir eletrônicos com até 80% de desconto acaba tornando alguns consumidores vulneráveis a golpes que, em outras épocas no ano, não pegariam ninguém.
Pensando nisso, elaboramos uma lista de dicas para evitar golpes e fraudes relacionads ao comércio eletrônico. Apesar das promoções, é importante tomar essa série de cuidados antes de realizar qualquer compra. A dor de cabeça (e possivelmente o custo financeiro) que você terá caso tenha seus dados de cartão roubados com certeza fazem valer o esforço. Confira:
- Antes de fechar o negócio, vale sempre a pena procurar pelas lojas online em sites como o ReclameAqui para saber de sua reputação - e pensar várias vezes antes de realizar a compra se o site tiver muitas avaliações negativas. O Olhar Digital já divulgou uma lista com sites dos quais é melhor nem chegar perto.
- Uma das sacanagens mais clássicas da Black Friday é aumentar o preço original dos produtos para fazer com que o desconto, no dia, pareça maior. Para evitar cair nessa, o único jeito é pesquisar antes. Para ajudar, listamos os preços de alguns smartphones um mês antes da data. Comparadores de preço como o Zoom também podem ajudar.
Confira várias vezes o nome do site. Primeiramente, garanta que a URL em que você está realizando a compra possui o nome da loja. E pesquise no Google para saber se o site da loja é www.loja.com.br ou www.loja.net - isso pode fazer a diferença entre uma boa compra e um golpe.
Na hora de pagar o boleto, aproveite para conferir se ele é correto mesmo usando o Verificador Online de Boletos. A única informação que o site pede é a linha digitável do documento, e ao recebê-la, ele retorna as demais informações sobre o boleto, para que o usuário possa conferir se o número é legítimo.
- Se for usar cartão de crédito, dê preferência a um cartão com limite baixo. Com isso, mesmo que os seus dados de pagamento sejam interceptados por alguém mal intencionado, o seu prejuízo será menor. Fique de olho na fatura dos meses seguintes para ver se não aparece nenhuma cobrança suspeita.
Evite realizar as compras em redes WiFi públicas. Como essas redes podem ser acessadas muito mais facilmente, é bem mais provável também que pessoas mal intencionadas consigam monitorar o tráfego e interceptar as informações que navegam por elas. Redes cabeadas são sempre preferíveis, mas um WiFi particular, de uma pessoa conhecida e com senha forte, já é suficiente.
- Muitos sites enviam notas fiscais eletrônicas após a compra. Infelizmente, muitos criminosos também enviam e-mails falsos com supostas notas fiscais como anexo. Esse anexo, no entanto, costuma ser algum arquivo nocivo que infecta o computador quando é aberto. Só abra esses e-mails quando eles vierem de uma loja ou site do qual você realmente se lembra de ter comprado algo.
Como evitar fraudes por e-mail:
Verifique sempre a origem do e-mail. não basta ler o nome do remetente, é necessário também verificar o próprio endereço, para conferir se não se trata de um endereço estranho.  Se o nome do remetente for um nome de loja, mas o email terminar com “@hotmail.com”, fique esperto.
Não confie em links contidos no e-mail. Caso o assunto interesse, abra o seu navegador e tente encontrar o site de outra maneira. O link pode levar a um site falso, parecido com o da loja, que induz o usuário a fornecer informações pessoais ou mesmo de cartão de crédito.
Repare na linguagem do e-mail. Erros gramaticais, falta de diagramação, ausência de logos e abreviações excessivas podem ser sinais de que não se trata de uma mensagem legítima. Se a linguagem do e-mail der um senso de urgência (algo do tipo “disponível apenas nas próximas duas horas!”), redobre a atenção.

- Dados confidenciais, como CPF e endereço, nunca devem ser enviados por e-mail para fins de comércio eletrônico. Caso tenha que fornecer esses dados a algum site, garanta que o site é legítimo e verifique se o nome do site começa com https://.
- Não confie em anexos enviados junto a e-mails de ofertas. Eles podem conter programas maliciosos que infectam o computador se forem abertos.
Fonte: Olhar Digital.