26 de mai de 2016

Operadoras começam a vender iPhone SE por a partir de R$ 2.099 com planos

Algumas operadoras brasileiras iniciaram nesta terça-feira (24) a venda do iPhone SE. Atrelados a planos pós-pagos, o aparelho poder ser encontrado por a partir de R$ 2.099. Valor um pouco mais em conta do que o encontrado na loja da Apple, que varia de 2.699 (versão de 16 GB) a R$ 2.999 (versão de 64 GB).
O novo modelo marcou a volta da Apple às telas de quatro polegadas. Chega ao mercado com especificações similares ao do iPhone 6S --processador  A9,  câmera traseira de 12 megapixels e vídeos em 4K. A diferença é que o SE não traz o 3D Touch, recurso da Apple que reage à pressão dos dedos na tela, é a câmera frontal (de 1,2 MP).
A Vivo, por exemplo, informa que oferece o iPhone SE por R$ 2.099, no plano SmartVivo 5GB, que custa mensalmente R$ 189,99 e dá direito à 5GB para acesso à internet, SMS ilimitado e 400 minutos de ligações.
A operadora também possibilita a trocar de um smartphone antigo por descontos na compra do novo aparelho. Com a entrega de um iPhone 5S 64GB, a Vivo diz que o iPhone SE pode chegar a ter um desconto de até R$ 850, saindo por R$ 1.249 (ou 12 x R$105). 
Na Claro o novo iPhone de 16 GB pode ser encontrado por 12 parcelas de R$ 179,00 (R$ 2.148) no plano Claro Max 5GB + 500 min, que custa mensalmente R$ 189,99. 
Já a TIM diz que só comercializará o modelo de 64GB por R$ 2.999, podendo ser parcelado em até 12 vezes sem juros. A venda não está atrelada a nenhum plano e segue o mesmo preço da loja da Apple.
A Oi ainda não informou se vai ou não incluir o iPhone SE em sem portfólio de smartphones, tampouco os possíveis preços, mas sinalizou o interesse: "A companhia tem parceria de negócios com a Apple e tem total interesse em disponibilizar o iPhone SE no Brasil aos seus clientes."
Fonte: Tecnologia Uol.

Apple pode lançar alto-falante com Siri contra Google Home e Amazon Echo

Segundo sites The Information e MacRumors, SDK da Siri seria apresentado na WWDC 2016, em junho.

A Apple estaria desenvolvendo um novo produto que se basearia na Siri para ativar determinados recursos e capacidades, assim como “puxar” informações da Internet, segundo o site especializado The Information.
O suposto novo produto teria um alto-falante e um microfone, o que o tornaria um rival direto de outros aparelhos inteligentes parecidos como o Amazon Echo e o recém-anunciado Google Home.
De acordo com a publicação, a Apple está preparando o lançamento desse aparelho ao oferecer primeiro um kit de desenvolvimento de software do Siri para desenvolvedores de terceiros. Abrir a plataforma da Siri vai ajudar a melhorar a assistente virtual da Apple ao incorporar outros apps e serviços que possam ser ativados com comandos de voz. No momento, a Siri pode funcionar com outros apps como Yelp e OpenTable, mas essas integrações funcionam em uma base de caso a caso dos desenvolvedores trabalhando diretamente com a Apple.
Já o blog MacRumors afirma que SDK da Siri seria apresentado durante a conferência anual de desenvolvedores da Apple, a WWDC 2016, que acontece no próximo mês de junho.
Fonte Macworld.

Apple (re)contrata especialista em criptografia após polêmicas com FBI

Com passagem recente pela Silent Circle, responsável pelo smartphone Blackphone, Jon Callas já trabalhou na Apple em outras duas oportunidades.
A Apple recontratou um pioneiro da criptografia mobile à medida que continua a enfrentar pressão de governos que querem acesso a dados de usuários armazenados em iPhones.
Mais recentemente, Jon Callas, que também cofundou a PGP Corporation, trabalhou como cofundador da Silent Circle, que ficou conhecida pelo smartphone critptografado Blackphone. O veterano chega à Apple em um cargo não revelado, segundo a Reuters.
Antes, Callas já trabalhado na Apple entre 1995 e 1997, e depois entre 2009 e 2011. Ele possui duas patentes em seu nome nesta segunda passagem, sendo que ambas são focadas em criptografia completa de disco, algo que a Apple usa em smartphones, tablets e computadores.
A contratação do especialista acontece à medida que a Apple dá mais atenção para a criptografia, especialmente com a disputa judicial recente com o FBI, que pediu para a empresa desbloquear determinados iPhones para acessar os conteúdos.
Ainda não está claro exatamente o que Callas fará na Apple desta vez, mas parece provável que ele trabalhará em criptografar os produtos da empresa de Redmond.
Fonte: Macworld.