17 de fev de 2017

Lojas populares do Brasil comprarão seu celular velho na troca por um novo

  • iPhone 6S Plus usado pode chegar a ser avaliado em R$ 1.600
As lojas físicas das Casas Bahia e do Ponto Frio passarão a aceitar a partir desta sexta-feira (17) celulares e tablets usados de consumidores como parte do pagamento de um aparelho novo.
O serviço, por enquanto, está disponível em 22 lojas das duas marcas nos Estados de São Paulo, Distrito Federal e Mato Grosso do Sul, e chegará aos mais de 970 pontos físicos das duas redes até o fim de março. Em SP, estão confirmadas para esse primeiro momento as Casas Bahia do Shopping Interlagos e a Ponto Frio Megastore, na marginal Tietê.
A avaliação dos equipamentos acontece instantaneamente, pois será feita pelos próprios funcionários da loja com a ajuda de um sistema que indica o valor a ser oferecido pelo aparelho usado.
O valor vai depender de detalhes como modelo, capacidade e condições de uso dos aparelhos (estado da tela, da carcaça, dos botões e do brilho e capacidade touchscreen do visor). 
Equipamentos com tela riscada ou quebrada também são admitidos na negociação, mas não valerão tanto. Modelos muito antigos também podem render menos.
Um iPhone 6s Plus de 128 GB em bom estado de conservação, por exemplo, pode chegar a ser avaliado em R$ 1.600. 
Mas, calma, não é possível obter isso em dinheiro vivo.
O consumidor receberá um termo de transferência de propriedade. Ao assiná-lo, na hora, será emitido um vale compra com data de validade para o mesmo dia e que deverá ser utilizado apenas na aquisição de um novo celular.
Veja outras simulações:
Samsung Galaxy S6: R$ 500 (perfeito) ou R$ 150 (tela quebrada)
Moto G 3ª Geração: R$ 300 (perfeito) ou R$ 90 (tela quebrada)
LG G3:  R$ 850 (perfeito) ou R$ 213 (tela quebrada)
Aparelhos denunciados como perdidos ou roubados, que não liguem, não ativem, que possuam serviço de localização ativo ou qualquer senha de proteção ou bloqueio ativo, não serão aceitos. Além disso, o modelo precisa ter sido comercializado no Brasil e estar completamente resetado.
Para resetar um iPhone, clique no ícone Ajustes (na tela inicial) > Geral > Redefinir > Apagar conteúdo e ajustes. Em um aparelho com Android, clique no ícone Configurações (ou Ajustes) > Fazer backup e redefinir > Restaurar dados de fábrica. 
A Brightstar, empresa responsável pela nova operação, pedirá os números dos documentos de identificação do cliente, além de pesquisar o IMEI (tipo de numeração única para cada aparelho) para saber se ele está em listas negras de produtos perdidos ou roubados. Os modelos velhos serão recuperados e revendidos no site Sou Barato.
A novidade também está disponível no site da Casas Bahia. A avaliação do produto é feita online, de acordo com as características informadas pelo cliente. Se ele entregar um aparelho em condições aquém do que foi informado, o mesmo será devolvido sem custo de frete.
A equipe do site fará uma análise e vai gerar uma proposta ao cliente. Em caso de concordância com o valor apresentado, ele poderá se cadastrar no site e depois receber instruções por e-mail para o envio do produto gratuito pelos Correios. Ao final, será enviado um novo e-mail com o código do cartão presente para ser usado na loja virtual da rede.
Fonte: Uol.

O dólar caiu! Veja se vale a pena comprar um iPhone 7 nos EUA

A recente sequência de quedas da moeda norte-americana fez com que muitos brasileiros cogitassem comprar produtos eletrônicos nos Estados Unidos para tentar economizar algum dinheiro. Mas será que a prática realmente vale a pena?
Abaixo, o Olhar Digital fez um levantamento com os dois principais aparelhos da Samsung e da Apple, que são vendidos aqui e também no exterior, onde são comercializados pelo mesmo valor. A taxa de conversão utilizada foi de US$ 1 = R$ 3,22.
iPhone 7 Plus 32 GB
  • Preço no Brasil: R$ 4.099;
  • Preço nos EUA: US$ 769 (R$ 2.476,18, em conversão direta).
Galaxy S7 Edge
  • Preço no Brasil; R$ 3.499;
  • Preço nos EUA: US$ 769 (R$ 2.476,18, em conversão direta).
Taxas locais
A compra nos Estados Unidos está sujeita às taxas de tributação locais das cidades. Nos principais destinos, Miami e Nova York, elas são de 7% e 8,875%, respectivamente.
  • Preço oficial do celular: US$ 769;
  • Preço em Miami: US$ 769 + 7% = US$ 822,82 = R$ 2.649,51;
  • Preço em Nova York: US$ 769 + 8,875% = US$ 837,24 = R$ 2.695,94.
IOF
O IOF é um imposto que incide em compras ou operações com cartão de crédito (6,38%), saques em cartão pré-pago (6,38%) e compra de moeda estrangeira em espécie (1,1%).
  • Preço nos EUA: US$ 769;
  • IOF de 6,38%: US$ 49,06;
  • Preço nos EUA no cartão de crédito: US$ 818,06;
  • IOF de 1,1%: US$ 8,45;
  • Preço do celular para pagamento à vista: US$ 777,45.
Alfândega
Se você estiver nos Estados Unidos e deseja comprar algum desses smartphones, é preciso ficar ligado nas taxas alfandegárias que serão cobradas quando você desembarcar no Brasil. Alguns eletrônicos adquiridos para fins pessoais são isentos de impostos, como um celular, uma câmera fotográfica e um relógio de pulso.
Para isso, é necessário comprar apenas uma unidade de cada um desses produtos para configurar o uso pessoal. Eles precisam também voltar ao Brasil na condição de usados, isso é, fora da caixa e já em uso. Assim, a dica para quem quer comprar um celular na viagem é não levar o seu próprio aparelho.
Taxa alfandegária
Agora, se você quer comprar mais de um celular ou algum produto que não esteja isento, então precisa ficar informado sobre as taxas alfandegárias. A Receita Federal permite que somente compras de até US$ 500 (valor de todos os produtos somados) passem pela alfândega sem qualquer cobrança extra.
Por lei, você deverá declarar os produtos que comprou caso a conta passe dos US$ 500. Com isso, será gerado um imposto de 50% do valor excedente aos US$ 500. Para explicar isso melhor, vamos citar a compra de um iPhone 7 Plus usando a fórmula: “(Preço do celular nos EUA – Limite da alfândega) – 50%”.
  • Preço nos EUA: US$ 769;
  • Imposto cobrado na alfândega: US$ 134,50 (R$ 433,09);
  • Preço nos EUA com taxas de alfândega: R$ 2.909,27;
  • Conta utilizada: (US$ 769 – US$ 500) – 50% = US$ 134,50.
Vale lembrar que essa conta é válida apenas para produtos que foram declarados para a Receita Federal durante o desembarque no país. Caso o viajante decida entrar na fila de “não declarar” e seja solicitado que revele as suas compras, ele terá que arcar com o imposto de 100% sobre o valor excedente.
Conta final
Feitas todas essas contas, vamos ao final dessa matéria exemplificando quanto realmente um telefone comprado nos Estados Unidos custa para quem mora no Brasil e pretende viajar para Miami ou Nova York para adquirir um novo celular.
Assim, teremos que somar o preço do telefone, a taxa municipal, o IOF (6,38% ou 1,1%) e a taxa cobrada pela alfândega (50% sobre o valor excedente ao limite de US$ 500). Para facilitar a conta, vamos usar a taxa de Nova York (8,875%), mas você pode substituir esse dado por outra alíquota.
Pagamento no cartão com taxa alfandegária:
  • US$ 769 + IOF (6,38%) + imposto municipal de NY (8,875%) = US$ 890,67;
  • O valor excede os US$ 500 em US$ 390,67. O tributo ficaria em 50% do valor, totalizando mais US$ 195,34;
  • A soma seria de US$ 1.086. Fazendo a conversão com a cotação do dólar em R$ 3,22, o total seria R$ 3.496.
Pagamento no cartão sem taxa alfandegária:
  • US$ 769 + IOF (6,38%) + imposto municipal de NY (8,875%) = US$ 890,67;
  • O valor convertido em reais na cotação de R$ 3,22 seria de R$ 2.867,96.
Pagamento em dinheiro com taxa alfandegária:
  • US$ 769 + IOF (1,1%) + imposto municipal (8,875%) = US$ 846,46;
  • O valor excede os US$ 500 em US$ 346,46. O tributo ficaria em 50% do valor, totalizando mais US$ 173,23;
  • A soma totaliza US$ 1.019,69. A conversão do valor para o real em R$ 3,22 é de R$ 3.283,40.
Pagamento em dinheiro sem taxa alfandegária:
  • US$ 769 + IOF (1,1%) + imposto municipal (8,875%) = US$ 846,46;
  • O valor convertido para o real na cotação de R$ 3,22 é de R$ 2.725,60.