13 de set de 2015

Apple atualiza linha de MacBooks e aumenta preços no Brasil

Vale notar que esse já é o terceiro aumento de preços da Apple no país apenas em 2015. MacPro custa até R$28 mil.

A Apple atualizou nesta terça-feira, 19/5, a sua linha de Macs, soltando até um iMac mais em conta nos EUA. Mas no Brasil (e em países da Europa) o que se viu foram apenas preços maiores.
Além de lançar um MacBook Pro Retina de 15 polegadas, a empresa de Cupertino apresentou iMac Retina de 27” com resolução 5K e até uma queda de preço no modelo top de linha nos EUA.
No entanto, a loja online da Apple no Brasil trouxe apenas uma diversidade de aumentos nos preços dos mais variados modelos dos Macs, que ficaram entre 5% e 20% mais caros.
O Mac Mini, por exemplo, viu seus valores subirem, em média, 15%, com o modelo de entrada custando agora 3.600 reais.
Já os iMacs tiveram aumentos de 6% até 16% nos preços, que agora começam em 7.900 reais e vão até 16.300 reais.
O novo MacBook Pro Retina de 15” ficou entre 6% e 9% mais caro do que as versões anteriores.
E os Mac Pros foram os que tiveram os maiores aumentos: entre 16% e 22%. Com isso, os computadores profissionais da Apple agora saem por até 28 mil reais.
Vale notar que o Brasil não foi o único país a receber esses aumentos, já que Portugal, França e Alemanha também passaram pelo mesmo, mas os preços que já eram altos por aqui ficaram ainda mais absurdos, o que dificulta cada vez mais a compra de um Mac no mercado brasileiro.

Novo sistema Mac OS X El Capitan chega em 30 de setembro, diz Apple

Update para Macs chega cerca de duas semanas depois do lançamento do iOS 9 e do watchOS 2.
A Apple não falou especificamente sobre o OS X El Capitan durante o evento 9/9, mas revelou a data de lançamento do sistema para Macs durante uma demonstração do novo iPhone.

Uma mensagem de e-mail do VP sênior da empresa, Craig Federighi, alegava que o El Capitan chega ao público geral no próximo dia 30 de setembro.
Os usuários poderão fazer o upgrade dos seus Macs para o El Capitan por meio da Mac App Store. Como já virou costume, o update é gratuito.
E, é claro, que você deve fazer um backup dos seus dados antes de atualizar o sistema do seu Mac.
Fonte: Macworld.

Primeiras impressões: colocamos as mãos nos novos iPhones 6S e 6S Plus



Apresentado nesta semana, novos smartphones da Apple trazem dois recursos exclusivos e bastante interessantes: Live Photos e 3D Touch. Saiba mais.

“A única coisa que mudou é tudo”, afirma a Apple no slogan dos seus novos iPhones 6S e 6S Plus. E isso é verdadeiro e enganoso ao mesmo tempo. A estrutura do aparelho parece a mesma coisa, o tamanho das telas não mudou, e o modelo de entrada ainda tem apenas 16GB de armazenamento. Mas por dentro nós temos um iPhone totalmente novo com algumas habilidades impressionantes.
Consegui brincar um pouco com os novos modelos, e apesar de a apresentação da Apple no evento não ter me impressionado, os novos recursos 3D Touch e Live Photos realmente entregam uma ótima experiência.
Live Photos
“O que é uma foto?”, ponderou o executivo da Apple, Phil Schiller, durante o evento. Mas ele não estava iniciando um debate filosófico e tinha um bom argumento: uma foto é uma imagem parada de um momento, mas um momento pode ter um começo, meio e fim que um quadro nem sempre pode representar totalmente. É aí que entra o novo recurso Live Photos, da Apple. Ele fica acionado por padrão no app Câmera, e caso você o mantenha habilitado, ele captura automaticamente 1,5 segundo de momentos antes e após você apertar o botão para tirar a foto.
Isso parece um vídeo, mas a Apple diz que não é um vídeo. São fotos de 12MP capturadas pela câmera traseira iSight, e caso você a envie para um amigo com o iOS 9 ou o Mac OS X El Capitan, irá com uma animação (E se mandar para qualquer outra pessoa sem esses updates, as imagens chegarão como um arquivo JPEG padrão).
iphone6s_625.jpg
Navegando pelo Live Photos no Rolo da Câmera, você verá um pequeno trecho da animação – apenas o bastante para te permitir fazer a distinção entre uma Live Photo e uma imagem padrão. Ao tocar mais forte sobre uma Live Photo, você verá os três segundos de movimento.
Tenho um filho de 3 anos, e muitas das fotos que tiro dele acabam borradas porque seu corpo está em movimento basicamente o tempo todo. Por isso, um recurso desses seria interessante, já que seria muito melhor do que qualquer foto borrada ou em que ele saia de olhos fechados.
Os desenvolvedores também poderão usar o Live Photos – o Facebook está trabalhando para oferecer suporte ao recurso, com o objetivo de finalizar esse processo até o fim do ano. Mas mesmo que nunca saia do iPhone, o Live Phots já é legal o bastante. 
3D Touch
Mas o que é 3D Touch? Esse é o outro recurso importante exclusivo dos novos iPhones. Funciona igual ao Force Touch do Apple Watch – você pressiona mais forte na tela, como se quisesse tocar além dela, e esse é um tipo diferente de toque do que um deslizar ou toque normal. Isso te permite interagir de novas formas como aplicativos da Apple e de outras empresas.
Por exemplo, é possível usar o 3D Touch ao tocar em ícones da tela início para abrir atalhos para determinados recursos. O ícone do Facebook esconde atalhos para mudar seus status ou fazer check in, enquanto que o app de Câmera guarda opções para fazer uma selfie ou gravar um novo vídeo. Se você tentar usar o 3D Touch em um ícone que não possui suporte para ele, verá o ícone mexer um pouco para você saber que o 3D Touch registrou a ação, mas que nada mais vai acontecer. 
iphone6s3dtouch.jpg
O 3D Touch fica ainda mais legal quando você abre os apps. Você pode usá-lo para visualizar o preview de uma nova mensagem no Mail, mas não é tão útil e eficiente quanto o Quick Look no Mac OS X, uma vez que o preview some assim que você tira seu dedo da tela. Durante meus testes rápidos com o aparelho, me achei usando o 3D Touch em uma mensagem, e então levantando meu polegar para ver o que ela dizia. Mas obviamente que o preview da mensagem desaparecia nessa hora. Então voltei a usar o 3D Touch na mensagem. De novo, de novo e de novo. Seria mais rápido apenas tocar para abrir a mensagem.
Mas o preview não é realmente para leitura e sim para uma triagem rápida. A Apple chama o primeiro preview de “espiada”, e se você não levantar o dedo, pode deslizar para cima, esquerda ou baixo, para mais opções. 
Assim como o Live Photos, o recurso 3D Touch é aberto para os desenvolvedores. Por exemplo, o ícone do app do Facebook possui atalhos para publicar um novo status ou fazer check in diretamente da sua tela inicial. O Instagram permite que você use o 3D Touch em tudo, como dar uma espiada nos thumnails e perfis de usuários a partir de qualquer lugar do app.
iphone6s3dtouch02.jpg
Os primeiros usuários do Apple Watch tiveram reações diversas sobre o Force Touch naquele aparelho. Ele é incrivelmente útil, mas não é exatamente intuitivo – definitivamente existe uma longa curva de aprendizado antes de seu cérebro lembrar onde usar o Force Touch e o que você encontrará quando fizer isso, uma vez que todo app pode usar o recurso de forma diferente. No meu teste rápido com o iPhone, tive os mesmos problemas, mas espero que quando tiver o aparelho em mãos em tempo integral, o 3D Touch rapidamente virará algo natural.
Câmera e hardware
A câmera traseira iSight recebeu um upgrade para 12MP, e agora pode gravar vídeos em 4K. A câmera frontal FaceTime também ficou melhor e agora pode tirar fotos de 5MP. Obviamente não consegui fazer um teste completo das câmeras na área de demonstração, mas a velocidade do obturador é impressionante, e o recurso de zoom nas fotos de demonstração revelava cada detalhe das imagens. As fotos panorâmicas agora possuem até 63MP, e adoro como o álbum dedicado a elas no iOS te mostra o panorama completo em cada miniatura.
Além das câmeras, no entanto, o hardware é quase o mesmo. A segunda geração do Touch ID (no botão home) funciona de forma mais rápida, segundo a Apple – por isso, serão precisos mais testes quando recebermos uma unidade do aparelho.
A pré-venda nos EUA começa neste sábado, 12/9, com os aparelhos chegando naquele país (e mais 11 nações) no próximo dia 25. No entanto, os smartphones ainda não possuem previsão de lançamento no Brasil.
Fonte: Macworld.