18 de set de 2016

8 novidades do iPhone 7 e do iPhone 7 Plus que você precisa conhecer.

Todo mundo estava esperando a chegada dos novos iPhones fazia algum tempo, mas somente na quarta-feira (7 de setembro) a Apple trouxe todas as novidades dos dispositivos.
Assim como já era esperado, os aparelhos chegam ao mercado com os nomes de iPhone 7 e iPhone 7 Plus — clique aqui para conhecer tudo sobre os dispositivos.
Mas ao contrário do que muitos cogitavam, os novos dispositivos chegaram com várias novidades bem legais. E é sobre elas que vamos falar agora.
Está preparado para conhecer o que surgiu de mais legal nos iPhones 7 e iPhones 7 Plus? Então confira agora mesmo as novidades que podem fazer com que a Apple consiga repetir seus ótimos números no mercado global.

1. Mudanças no design

De modo geral, os novos iPhones chegam com o mesmo design da edição passada, mas há pequenas diferenças que merecem ser mencionadas. Para começar, existe uma nova cor chamada “Jet Black”, que foi criada exclusivamente para as versões com maior capacidade de armazenamento.
Observando o aparelho é possível notar que as Antenna Bands não estão mais na parte traseira dele. A partir de agora, a Apple levou os recursos para a extremidade superior da carcaça, deixando a tampa traseira mais limpa do que acontecia na geração anterior.

2. Novo botão “Home”

O botão “Home” não chegou a ser modificado esteticamente, mas agora ele se tornou uma ferramenta menos “clicável”.  Ele agora é composto de um material capacitivo, preparado com sensor de pressão e resposta tátil para os usuários, que também podem aproveitar o recurso para utilizar uma série de funcionalidades Force Touch.
Mesmo não sendo clicável, a Apple promete que a resposta “haptic” fará com que a utilização permaneça com a mesma qualidade de interação que víamos anteriormente. Importante dizer que os recursos de Touch ID continuam funcionando da mesma maneira que já estávamos acostumados a ver.

3. Agora à prova d’água

Agora, os iPhones também trazem resistência à água e à poeira, tendo certificação IP67. Isso significa que os aparelhos agora se mostram muito menos frágeis do que as gerações anteriores. Eles não podem ser mergulhados e usados em piscinas, mas resistem à queda na água e também podem ser usados na chuva, por exemplo.

4. As grandes mudanças nas câmeras

Apesar de manter os sensores com resolução máxima de 12 megapixels, as duas versões dos novos iPhones receberam atualizações. Para começar, os dois ganharam um novo processador com 60% mais velocidade e 30% mais eficiência, que é capaz de capturar imagens em 25 milissegundos.
No iPhone 7, o destaque fica na chegada da estabilização óptica, que antes era exclusiva dos Plus. E por falar no Plus, é lá que estão as grandes novidades. O dispositivo conta com um sistema de lentes duplas, que promete mais qualidade na captação de luz, zoom óptico e criação de efeitos de profundida de campo — clique aqui para saber tudo sobre as câmeras.

5. Tela mais viva

Nesta nova geração, as telas permanecem com os mesmos tamanhos e resoluções. A diferença fica na exibição de cores, pois agora há um aumento na gama delas. Também há melhorias no brilho dos smartphones, representando 25% mais luminosidade. Nessa soma, a Apple promete trazer uma tela muito mais viva para todos os consumidores.

6. Adeus fones comuns

Como já era cogitado há tempos, os novos iPhones não trazem conectores de fones de ouvido com 3,5 milímetros. Agora, os aparelhos são equipados apenas com conectores Lightning e para usar os fones tradicionais é necessário conectar um adaptador ao iPhone — lembrando que esses adaptadores fazem parte do kit dos iPhones 7.

7. Novo hardware

Para os iPhones 7 e 7 Plus, a Apple investiu na utilização dos processadores A10 Fusion. Eles contam com quatro núcleos de processamento, sendo dois de alto desempenho e dois designados às funções de alta eficiência — utilizando apenas 20% da energia total. De acordo com a fabricante, há 40% mais poder de processamento central e 50% mais poder de processamento gráfico do que os vistos na geração anterior.
Vale dizer que a Apple também investiu em novidades para as baterias. Apesar de não revelar números relacionados à carga, a empresa de Cupertino revela que os novos aparelhos possuem autonomia maior do que a vista na geração 6s. Isso significa que os iPhones 7 trazem 12 horas de autonomia em 4G e os iPhones 7 Plus trazem 13 horas de autonomia nessas redes.

8. Armazenamento extra

Assim como grande parte da imprensa já esperava, os iPhones 7 e iPhones 7 Plus não vão mais contar com uma versão de 16 GB — sendo que a opção de entrada se torna a que traz 32 GB. Também foi extinta a versão de 64 GB, sendo que a versão mid passa a ser a de 128 GB. Por outro lado, há uma nova opção de alto desempenho com 256 GB para o armazenamento de dados no iPhone 7 Plus. O iPhone 7 permanece com opções de 32 GB, 64 GB ou 128 GB.


Fonte: Tecmundo.


Saiba como a Apple usou o espaço da entrada de fones no iPhone 7

Como todo grande lançamento da indústria de tecnologia, o iPhone 7 passou por um processo de desmontagem pelo site iFixit, que já tem uma tradição de longa data no tema, atribuindo suas notas de reparabilidade que são só uma desculpa para observar melhor os componentes do aparelho.
No caso do iPhone 7, há um fator um pouco mais curioso sobre a desmontagem do que o mero interesse em ver os componentes. A desmontagem teve também o objetivo de mostrar o que diabos a Apple fez com o espaço economizado com a ausência da porta de fones de ouvido removida.
A resposta é: não muita coisa. O desmanche revelou que o espaço foi ocupado por um pedaço de plástico que a Apple indica ser uma saída barométrica, que permite usar o barômetro do dispositivo, dedicado a medir altitude pela pressão do ar.
Publicidade
Você pode ver o pedaço de plástico abaixo:
 A Apple também tem informado a imprensa que a saída da porta não foi usada diretamente para um outro componente, mas o espaço foi aproveitado para ganhar mais espaço para todas as peças, incluindo uma bateria maior, mais facilidade em tornar o aparelho à prova d’água, alto-falantes na parte superior do dispositivo, antena, etc.
No entanto, também é o espaço ocupado pela Taptic Engine, o motorzinho que passa a sensação do clique do botão Home, mesmo que o botão em si não tenha mais partes mecânicas para clicar.
Fonte: Olhar digital.