14 de fev de 2017

Entrada da Apple em consórcio Wireless Power aumenta rumores sobre iPhone 8

Entrada da empresa de Cupertino para consórcio que desenvolveu o sistema de recarga wireless Qi ampliou os rumores sobre um novo iPhone com a funcionalidade.
A Apple entrou para o consórcio por trás do sistema de recarga wireless Qi, aumentando os rumores de que os donos do próximo iPhone poderão viver sem o cabo de força. 
A recente entrada do nome da Apple na lista de membros do Wireless Power Consortium, criador do Qi, apenas aumentou a crença sobre o rumor, que já está no ar há algum tempo.
“Após vários anos de rumores, a entrada da Apple para o Wireless Power Consortium aponta fortemente para a expectativa de que o próximo iPhone incluirá tecnologia de recarga wireless”, afirmou a analista de mercado da IHS, Vicky Yussuff.
No entanto, é melhor não aumentar muito as expectativas. Isso porque os analistas da IHS disseram exatamente a mesma coisa sobre o último iPhone.
Na verdade, a entrada da Apple para o consórcio pode não ter nada a ver com smartphone. O adaptador magnético de recarga fornecido junto com o Apple Watch recarrega aparelhos com Qi. Por isso, essa entrada da Apple pode ser apenas um reconhecimento tardio deste uso.
Nove em dez consumidores querem recarga wireless em seu próximo smartphone, segundo a analista da iHS. Segundo ela, a tecnologia é agora tão amplamente adotada que não pode ser ignorada pela Apple.
Fonte: Macworld.

5 dicas para você escolher o melhor SSD para seu PC e seu bolso

Se você quer melhorar o seu coputador, trocar o HD dele por um SSD é o melhor investimento que você pode fazer. Embora sejam mais caros e geralmente tenham capacidade menor, os SSDs são muito mais rápidos que os HDs. Com isso, toda vez que o seu computador precisar ler informações do armazenamento, ele fará isso mais rápido.
Em outras palavras: você sentirá os benefícios do seu investimento toda vez que ligar o computador, abrir arquivos grandes e inicializar programas (ou seja, praticamente o tempo todo). Isso vem, contudo, às custas de um pouco de espaço (além de bastante dinheiro).
Antes de gastar o dinheiro, porém, é importante pensar em algumas coisas para garantir que você investirá a grana da melhor maneira possível. Abaixo, listamos as cinco coisas nas quais você precisa pensar na hora de escolher um SSD. Confira.:
Reprodução
1. Capacidade
Os SSDs costumam variar, em capacidade, de 120 GB até 1 TB. Se você tiver um HD de 1 TB, poderá até ficar tentado a gastar uma fortuna num SSD do mesmo tamanho. Antes de fazer isso, porém, pense bem: aqueles 200 filmes que você baixou há dois anos e ainda não assistiu valem mesmo esse tanto de dinheiro? Por outro lado, se o seu HD de 1 TB estiver cheio de arquivos pesados que você usa com frequência e com um monte de jogos pesados instalados, não adianta você querer enfiar São Paulo em São Bernardo e comprar um SSD de apenas 120 GB. Migrar para um SSD provavelmente exigirá que você sacrifique alguns arquivos para economizar bastante dinheiro, então pense bem nisso.

2. Interface SATA 3
Os SSDs se ligam à placa-mãe do computador por meio de uma interface SATA - a mesma usada por HDs. No entanto, existem os padrões SATA 2 e SATA 3: SATA 2 suporta até 3 Gbps de envio de dados; SATA 3, por sua vez, suporta o dobro, e por isso consegue ser até duas vezes mais rápido. O essencial aqui é você descobrir se a sua placa-mãe tem suporte para interfaces SATA 3. Se ela não tiver, não adianta você investir mais em um SSD com essa interface, porque a sua placa-mãe não conseguirá suportá-la de qualquer maneira.

3. Tamanho
Você vai precisar encaixar esse SSD em algum lugar do seu computador. SSDs em geral têm 2,5 polegadas de largura, o que os torna do mesmo tamanho que os HDs de notebooks, mas menores do que os HDs de desktop (que têm 3,5 polegadas em geral). Se você vai instalar seu SSD em um PC, garanta que você tem espaço no seu gabinete para acomodá-lo. Se você for colocá-lo no notebook, fique esperto na hora da compra e confirme se ele tem de fato 2,5 polegadas: se ele for maior, pode acabar não cabendo dentro do seu laptop.
Reprodução
4. Preço e marca
Comprar um SSD pode ser até caro, mas lembre-se: todas as informações contidas no seu computador ficarão gravadas nele. Vale a pena pagar mais barato e correr o risco de ver o dispositivo apresentar algum defeito e deletar tudo que você tem? Não, não vale. Não arrisque nessa hora: atenha-se às marcas mais famosas ou nas quais você já confia, e dê uma pesquisada na internet para ver se há muitos casos de problemas daquela marca. Algumas marcas prometem velocidades maiores do que outras, e por isso são mais caras. Talvez isso seja um fator importante para você, mas nnão se preocupe demais com isso: qualquer SSD é muito mais rápido do que qualquer HD.
5. Migração


Alguns SSDs vêm com ferramentas de migração que ajudam você a copiar os arquivos do seu HD para o novo dispositivo de armazenamento. Com isso, você não precisa instalar tudo de novo junto com o SSD. Essas opções são interessantes especialmente para quem vai instalar o SSD em um notebook e não conseguem deixar tanto o SSD quanto o HD conectados à placa-mãe ao mesmo tempo. Por isso, pode ser interessante gastar um pouco mais por um aparelho que venha com isso.
Fonte: Olhar Digital.