8 de nov de 2016

iPhone deve ganhar forma mais discreta de acionar a polícia em emergências

A nova atualização do iPhone, prevista para ser lançada nas próximas semanas, deve ganhar uma forma mais discreta para que os usuários possam acionar serviços de emergências em ocasiões extremas.
Basta pressionar o botão que bloqueia e desbloqueia o telefone cinco vezes seguidas para que o número da polícia ou da ambulância seja ativado.
O usuário poderá ainda cadastrar um contato de emergência específico para que, diante do comando, ele receba um alerta com a sua localização.
O novo comando, divulgado em fóruns da Apple, é um atalho para ativação do "SOS Emergência", lançado pela Apple no início do ano. É muito provável que seja incluído na iOS 10.2, que deve ser lançada publicamente no início de dezembro.
Fonte: Uol.

iPhone 8 terá um recurso wireless simplesmente matador

trem dos rumores está apitando com força e existe um motivo claro: 2017 é o ano em que a Apple comemora o décimo aniversário do iPhone. Então, algo grandioso deve ser feito para os iFãs, e não apenas uma atualização de hardware.
Para começar, a Apple não deve lançar o iPhone 7s e o 7s Plus. É esperado que a Maçã pule direto para a geração iPhone 8 — e algumas fontes até acreditam no iPhone 10, para comemorar a data.
O segundo ponto, e talvez o mais importante: design. Os rumores estão apontando para uma mudança total na aparência do iPhone, já que a última alteração no design aconteceu na introdução do iPhone 6, em 2014. As indicações mostram que a Apple vai colocar uma tela cheia OLED que cobre todo o painel frontal, similar ao Xiaomi Mi Mix — por causa disso, a fabricante também deve abandonar o botão Home, partindo para um leitor de impressão digital Touch ID abaixo do vidro.
Sobre o hardware, a tendência é a mesma de sempre: câmeras melhores, um processador A11 mais rápido, mais memória RAM e, possivelmente, mais armazenamento interno.

iPhone matador

Contudo, o ponto-chave que muitos iFãs reclamam é a bateria, e ela deve ser um destaque no iPhone 8. A Apple pode estar desenvolvendo um carregamento wireless completamente diferente do que temos no mercado — já presente em centenas de celulares Android. Em possível parceria com uma companhia chamada Energous, o iPhone 8 poderá ser carregado enquanto você se move.
Vamos explicar: atualmente, o carregamento wireless exige que o smartphone esteja repousado sobre uma base. A tecnologia da Energous, que pode estar trabalhando com a Maçã, o iPhone 8 poderá ser carregado com uma distância de até 5 metros da base. Isso é feito por meio de um chip na placa mãe do smartphone que se conecta via wireless em uma base. Então, o usuário pode se movimentar enquanto carrega o aparelho.
Quer saber o mais bacana dessa tecnologia? Por exemplo: se você instalar essas bases de carregamento em mais de um ponto fixo em sua casa, você poderia andar livremente enquanto carrega o iPhone.
De acordo com o BGR, são várias as evidências que apontam um trabalho próximo entre Energous e Apple. Porém, o mais forte é o seguinte: a Energous, nos últimos avisos de ganhos, comentou que estava trabalhando em conjunto com uma fabricante de smartphones de primeiro escalão — "tier 1".
A única questão existente sobre a possível relação entre as empresas é o motivo da Apple ainda não ter comprado a Energous, que tem um valor de mercado de "apenas" US$ 280 milhões, e fechar a tecnologia com exclusividade.
Certeza sobre todos os rumores? Apenas ano que vem, amigos. Mas se a tendência de rumores confirmados, como vimos neste ano, seguir no próximo, teremos um produto verdadeiramente novo no mercado.
Fonte: Tecmundo.

Loja de apps da Apple passa a hospedar centenas de softwares piratas

Geralmente apontada como um ambiente mais seguro do que as lojas concorrentes, a App Store tem sido inundada com aplicativos falsos nas últimas semanas.
Os softwares usam nomes de marcas e redes varejistas famosas para enganar os usuários e fazê-los passar informações confidenciais, incluindo dados de cartões de crédito e credenciais como e-mails e senhas.
Especialistas ouvidos pelo New York Times disseram que o aparecimento de apps do gênero é relativamente comum nesta época do ano devido à proximidade da temporada de compras, mas desta vez a quantidade tem impressionado — são centenas de aplicativos falsos que surgem de um dia para o outro.
A Apple possui um sistema de aprovação individual que tem sido um diferencial importante no mercado, mas essa análise é focada em apps maliciosos, e não na caça a falsificações. Por isso, mesmo se um app nomeado como Nike não tenha sido feito pela Nike, ele tem boas chances de ser aprovado.
Cabe às próprias empresas fazer um monitoramento sobre como seus nomes estão sendo usados e, caso descubram irregularidades, são elas que precisam contatar a Apple em busca de soluções. Em alguns casos, a Apple tira o app do ar e ele volta em pouco tempo com outro nome, e em outros o app é aprovado com um conteúdo mas se modifica depois de ter sido aceito.
A reportagem do NYT descobriu que a maioria dos apps falsificados é desenvolvida por empresas chinesas. Uma delas disse ao jornal que cobra cerca de US$ 3 mil pelo desenvolvimento de um software móvel em inglês, mas que não faz uma checagem sobre a legitimidade de cada cliente. Mas a própria empresa apresenta indícios de irregularidades, como a apresentação de informações falsas em seu site.
Fonte: Olhar Digital.